PLAYLIST

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Lista negra de sites não recomendados pelo Procon-SP já passam de 300

Odete Soares Rangel

O título deste post é de uma matéria do PROCON de São Paulo alertando a população sobre os perigos das compras on-line, quando não se conhece o anunciante.

Tenho recebido muitos questionamentos sobre compras on-line, sendo que alguns clientes têm tido problemas, pois não receberam o produto. Ou ainda, receberam com defeito e para devolvê-lo, via correio, exigiram o pagamento de uma taxa em valor aproximado ao pago pelo produto.

Então, aqui está a resposta para suas dúvidas. 

Vejam o alerta do PROCON no último parágrafo da sua matéria. Leiam o post que fiz sobre esse tipo de perigo, clicando em <http://odeter.blogspot.com.br/2013/11/anuncio-mentirosos-49-bicicleta-gts-m1.html>

Para pesquisarem o CNPJ acesse:
<http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridica/cnpj/cnpjreva/cnpjreva_solicitacao.asp>

Parabéns a Administração do PROCON de São Paulo, que com esta matéria, vem resgatar a credibilidade para o usuário, evitando que continuem sendo lesados.

A seguir leiam a matéria do PROCON. Basta clicar nas palavras Lista negra no texto abaixo e terá acesso a lista das empresas não recomendadas pelo PROCON de São Paulo.

"Lista negra: sites não recomendados pelo Procon-SP já passam de 300

Da Redação
28 de outubro de 2013 - 15h16
Apenas em 2013, órgão de defesa ao consumidor adicionou mais de 100 estabelecimentos a serem evitados pelo consumidor. Muitos locais não possuem nem CNPJ.
O final de ano está chegando e nunca é demais ficar de olho bem aberto ao fazer compras para o Natal em lojas on-line. O Procon-SP atualizou recentemente sua “lista negra”, que já conta com 323 sites não recomendados pelo órgão.
Apenas em 2013, o órgão de defesa do consumidor adicionou cerca de 100 páginas que receberam reclamações diversas de usuários e foram consideradas impróprias para comercialização, devendo ser evitados pelos consumidores.
Vale notar que a lista traz lojas adicionadas nos últimos dois anos e que muitas delas já estão fora do ar. Em pesquisa rápida pela relação também é possível verificar um bom número de estabelecimentos que nem possui CNPJ.
Além de ficar de olho em sites como Reclame Aqui e redes sociais, e acessar regularmente essa lista do Procon-SP, o consumidor deve desconfiar de preços muito baixos e locais que tenham pagamento à vista via boleto como única forma de pagamento."

Fonte: <http://idgnow.uol.com.br/internet/2013/10/28/lista-negra-sites-nao-recomendados-pelo-procon-sp-ja-passam-de-300/>

Um comentário:

Odete Soares Rangel disse...

Acesse o link http://olhardigital.uol.com.br/home e você encontrará matérias muito interessantes. O que se viu no Black Friday foram empresas e sites vendendo algumas mercadorias por apenas 20% do valor do produto. Ora parece impossível, e já deveria ser olhada com mais cautela essa compra.

Depois que você comprou, tem que administrar a solução. Acesse o link http://www.reclameaqui.com.br/blackfriday/ranking/ e veja o ranking das reclamações desse periodo.

Ótima semana a todos!