PLAYLIST

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Gangue do boleto: Fique atento e reduza o risco do golpe


Você conhece o portal convergência Digital (www.convergenciadigital.com.brEle tem como missão ser a maior referência on-line das áreas de Tecnologia da Informação e Telecomunicações do País, com um conteúdo diferenciado e de primeira qualidade. Nele, você encontra matérias interessantes, atualizadas e de interesse público.  

Eu aprovo e recomendo!



"Gangue do boleto: Fique atento e reduza o risco do golpe


Convergência Digital ... 02/06/2015 ... Convergência Digital
O boleto é a segunda forma de pagamento mais utilizada no Brasil, ficando atrás, apenas, dos cartões de crédito. As informações são da E-bit,consultoria de comércio eletrônico. E os golpes se multiplicam. Em meados de julho do ano passado, a “gangue do boleto” ficou conhecida após uma onda de ataques virtuais que modificavam a linha digitável do código de barras nos boletos bancários. A estimativa é de que os hackers tenham gerado 496 mil boletos fraudulentos e arrecadado cerca de R$ 8,5 bilhões de reais.


O modelo teve uma retração, mas o risco ainda existe. Os golpistas se conectam aos computadores através de um vírus. Uma vez infectados sempre que um código de boleto é identificado, o malware desvia o pagamento fazendo com que o dinheiro vá para a conta dos integrantes da quadrilha. O analista antifraude, Ricardo Gomes, da Gerencianet, empresa especializada em pagamentos, traz as principais dicas de como se prevenir desta prática criminosa.



A primeira orientação é manter o antivírus do computador sempre atualizado.  “O antivírus pode detectar algum problema quando o boleto fraudulento é enviado por e-mail ou gerado na internet”, explica Ricardo. Segundo ele, a maioria dos documentos adulterados possui inconsistências visíveis a olho nu, por isso, é fundamental verificar o boleto atentamente e observar erros de português, formatação fora do padrão ou qualquer característica suspeita. 



Após a impressão, confira se o código do banco é compatível com a marca. “Cada instituição bancária possui um código identificador próprio. Este código encontra-se em frente ao logo do banco e nos três primeiros dígitos da linha digitável de cada boleto e deve ser equivalente ao código do banco emissor”, aconselha o analista da Gerencianet. A lista dos códigos de cada banco está disponível no site da Federação Brasileira de Bancos (Febraban - http://migre.me/q6zAy).



Compare o boleto recebido com os anteriores. No caso de pagamentos efetuados em caixas eletrônicos, é possível verificar os dados do boleto antes de finalizar o procedimento. “Observe se as informações contidas na tela do caixa são as mesmas impressas no boleto, como banco cedente, código do banco e agência do beneficiário”, orienta Ricardo. No site da Febraban também é possível verificar se a localização da agência emissora é compatível com o endereço do beneficiário.


É importante ter extremo cuidado com e-mails suspeitos. Ao receber notificações de pagamentos, links ou arquivos anexos, o indicado é entrar em contato com o emissor e pedir mais informações para a empresa solicitante. “Não realize pagamentos se houver qualquer dúvida sobre sua autenticidade.”, ratifica Gomes. O analista também pede que se evite efetuar compras, realizar pagamentos ou gerar segunda via em computadores desconhecidos ou através de redes WiFi públicas."

Um comentário:

Odete disse...


Leia as recomendações do PROCON sobre o assunto, acessando o endereço
http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-06/defesa-do-consumidor-alerta-para-golpe-com-fraude-em-boleto-bancario

Abçs a todos