PLAYLIST

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O mais é nada

Odete Soares Rangel

Tenho visto o poema "O mais é nada" postado em vários sites e blogs, cujos escritores atribuem a autoria do mesmo a Fernando Pessoa.  Na verdade é um equívoco, pois a autora do mesmo é Silvana Duboc. Entendo que ela estava iluminada e num dia muito feliz quando o criou, é um belíssimo poema.

Ao que sei, apenas os dois últimos versos são de Ricardo Reis, heterônimo de Fernando Pessoa, cujo poema original transcrevo na sequência. 


“Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala.
O mais é nada.”

O poema de Silvana, além de nos levar a fazer uma reflexão sobre como somos e agimos, nos traz à luz o desapego, a solidariedade,  o cuidado com a natureza... Olhar para o outro e ser feliz é uma valiosa lição que ela nos deixa como tema de casa.  Faz despertar o eu melhor que há dentro de cada um de nós.


Ela redigiu com tanta espontaneidade que tudo parece leve, mesmo as lágrimas vêm com um tom de naturalidade, as quais normalmente são atreladas a sofrimentos e dores.

Silvana com esse texto nos ensina que devemos dar valor ao que realmente importa, e aí sim segurar em nossas mãos com toda a garra, como é o caso do sorriso, do amor, do sonho, da vontade de viver. 


O mais é nada - Silvana Duboc

"Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar deles é lá.
Admire a lua, sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva, ela quer cair e molhar muitos rostos, não pode molhar só o seu.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!
Quem você ama? Guarde dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave! Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda, se o século vira e se o milênio é outro, se a idade aumenta; conserve a vontade de viver, não se chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado, alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Agonize de dor por um amigo, só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!
Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala.
O mais é nada."

Fonte:
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=205349
http://www.citador.pt/poemas/tao-cedo-passa-tudo-quanto-passa-ricardo-reisbrheteronimo-de-fernando-pessoa
Imagens de Odete Soares Rangel

5 comentários:

Arione Torres disse...

Oi Odete queridf, que post maravilhoso, muito lindo mesmo!
Tenha uma boa semana, beijos e fique com Deus!!!

Odete Soares Rangel disse...

Arione querida bom saber de você! Amei esse texto! Uma ótima semana para você também! BJos

Hoje fiz dois posts novos com mensagens de pishing, se quiseres conhecê-las!

Edvaldo. São Paulo - Capital disse...

Incrível. Conhecia o poema há cerca de 10 anos, e sempre acreditando que fosse de Fernando Pessoa. Passei a gostar ainda mais por saber que é da Silvana. Obrigado por nos contar.

Odete disse...

Boa tarde Edvaldo,

Obrigada por sua visita e feedback. Que bom que a cada dia descobrimos algo novo!

Abraços a todos,

Livros e tudo mais disse...

Olá, Odete, tudo bem?
Acerca do verso, olhando nos Arquivos de Fernando Pessoa, lá consta.
Veja, por favor, o link.

http://arquivopessoa.net/textos/2837