PLAYLIST

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Quero

Odete Soares rangel

"Quero" é uma composição de Thomas Roth, que poderia bem ser classificada como árcade. "Inutilia truncat" era o lema da Arcádia Lusitana, que significa cortar as inutilidades. A idéia era livrarem-se dos exageros, do rebuscamento e da extravgância cometidos pelo Barroco, retornado a forma simples de compor.  Essa composição tem essa simplicidade, e é através dela, que Thomas expressa seus desejos. Esses  anseios são os mesmos da sociedade contemporânea caracterizados pela necessidade de sentir-se seguro, de viver num mundo sem poluição, de ter mais florestas em detrimento de prédios e estruturas de aço que vêm devastando a natureza. Enfim, viver num mundo sustentável.  Thomas é produtor, publicitário e compositor brasileiro. Ele também foi jurado, em algumas edições, dos programas Ídolos e Astros. Além disso, ele é uma simpatia. Você deve lembrar que essa composição foi gravada por Elis Regina no disco "Falso Brilhante" e Nova estação.


Quero ver o sol atrás do muro
Quero um refúgio que seja seguro
Uma nuvem branca sem pó, nem fumaça
Quero um mundo feito sem porta ou vidraça
Quero uma estrada que leve à verdade
Quero a floresta em lugar da cidade
Uma estrela pura de ar respirável
Quero um lago limpo de água potável
Quero voar de mãos dadas com você
Ganhar o espaço em bolhas de sabão
Escorregar pelas cachoeiras
Pintar o mundo de arco-íris
Quero rodar nas asas do girassol
Fazer cristais com gotas de orvalho
Cobrir de flores campos de aço
Beijar de leve a face da lua

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Amor, há o Amor!

Odete Soares Rangel

Hoje acordei pensando na palavra Amor. Ela vem do latim amoré. Entre seus significados estão: cuidado, zelo, carinho, amizade, afeição. É o sentimento que, espontaneamente, leva as pessoas a desejarem o bem do outrem. Não é por acaso que é tão importante na consolidação das relações familiares.

E para celebrar o Amor, vou relembrar o pensamento de alguns autores sobre o tema. E dedico o Post, em especial ao Telmo (my husband) que é a maior expressão do amor que conheci.  Reconheço-o no pensamento de Antoine de Saint Exupéri "O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem."  
 
Veja o que alguns autores dizem:
 
"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar: Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?" (Fernando Pessoa)

"A Amizade é um amor que nunca morre." (Mário Quintana)

"O vírus do amor me pegou, preciso deletar a saudade do meu peito, o HD esta cheio de lembranças do nosso amor ... " (Júlio Luz)

O amor é o nosso estado natural quando não optamos pela dor, pelo medo ou pela culpa. (Willis Harman e Howard Rheingold)


Canção de vidro

E nada vibrou...
Não se ouviu nada...
Nada...

Mas o cristal nunca mais deu o mesmo som.

Cala, amigo...
Cuidado, amiga...
Uma palavra só
Pode tudo perder para sempre...

E é tão puro o silêncio agora!  (Mário Quintana)

Você deve estar se perguntando onde está o amor neste poema? Leia-o muitas vezes e você acabará descobrindo a mensagem implícita. Não há um ditado popular que diz mais ou menos assim "que o amor é  como um cristal quando se quebra, é impossível reconstituí-lo?"

"O amor é como um quebra-cabeça. Quando você está apaixonado, todas as peças se encaixam, mas quando seu coração fica quebrado, leva um tempo para começar tudo novamente." ( autoria desconhecida)

O tema é complexo e abrangente. Se você não anda dando muita atenção ao seu Amor, reflita sobre  e tente mudar. "O ser humano pode começar a mudar em qualquer fase da vida...Nós somos uma nova página a cada dia." (Içami Tiba). Seja amoroso, seja parceiro, deixe-o liberto! Preste atenção no amor que há dentro de você!


E para concluir...

 "A maior felicidade é a certeza de sermos amados apesar de ser como somos." (Vitor Hugo)

Obrigada Telmo por todo seu Amor!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Cássia Kiss, uma atriz plural

Odete Soares Rangel

Não costumo ficar horas vendo televisão, menos ainda Domingão do Faustão e novelas. Entretanto, ontem (24) entre uma passada pela programação da SKY e no canal 12, parei neste último, para ouvir as falas da atriz Cássia Kiss. E neste caso em particular, vi alguns capítulos da novela global Morde & Assopra. Isto porque fiquei impressionada com a atuação dessa atriz, nos trejeitos da boca quando fala, dificílimo de fazer, na simplicidade do vestir e de falar da faxineira Dulce, nos sentimentos que ela expressa com tanta sinceridade.

O filho Rafael renega o próprio filho, embora o direito a vida seja essencial, e inerente à condição humana. Com suas atitudes inconsequentes e a ânsia pelo status querendo se dar bem a qualquer preço, renega também a mãe pela sua condição de pobreza, fazendo dela uma personagem sofrida. Mas nem por isso, ela abre mão dos seus princípios éticos e de solidariedade. E ainda tenta reconduzir o filho para uma vida honesta e de trabalho. Ela encarna o personagem que faz com uma naturalidade que convence. É como se a Cássia Kiss fosse verdadeiramente a Dulce, uma pessoa humilde, mas do bem.

O amor incondicional que ela demonstrou pela família, a atriz demonstra pelos amigos e , especialmente, pelo neto na novela. O papel da vida real se assemelha com o da Dulce. Só mesmo uma atriz tão plural, com tamanha consciência de querer fazer o melhor e de emocionar o público, consegue passar tanta verdade. E ela emociona mesmo!

Cássia falou dos pais permissivos com os filhos. Fica o alerta para que não tentem preencher a vida dos filhos com bens materiais e presentes, mas sim que lhes dêem amor. Esse é o bem mais precioso.

Cássia é descendente de húngaros, vendeu sanduíche na praia, foi morar sozinha ainda jovem porque sua mãe não entendia seus horários de chegar em casa, passou dificuldades, mas perseguiu seu sonho e conseguiu seu objetivo.

Um dos seus diretores acreditava no seu potencial como atriz, comparando-a a Fernanda Montenegro. Ela já nasceu grande, só foi se lapidando no percurso do caminho. Ela se supera em cada papel desempenhado.

Parabéns a Cássia mulher e a atriz!

domingo, 24 de julho de 2011

1º Festival da Tainha

Odete Soares Rangel

O Festival da Tainha acontecerá no Centrosul, em Florianópolis, no período de 29 a 31 de julho. O evento é um resgate à gastronomia e à cultura açorioana, não deixe de prestigiar. Você, além de saborear pratos especiais, poderá divertir-se com shows de humor com o manezinho Darci que é uma atração sensacional, e com outras apresentações culturais.

Boa diversão! 

sexta-feira, 22 de julho de 2011

A um Poeta, soneto de Olavo Bilac

Odete Soares Rangel


Longe do estéril turbilhão da rua,
Beneditino escreve! No aconchego
Do claustro, na paciência e no sossego,
Trabalha e teima, e lima , e sofre, e sua!

Mas que na forma se disfarce o emprego
Do esforço: e trama viva se construa
De tal modo, que a imagem fique nua
Rica mas sóbria, como um templo grego

Não se mostre na fábrica o suplicio
Do mestre. E natural, o efeito agrade
Sem lembrar os andaimes do edifício:

Porque a Beleza, gêmea da Verdade
Arte pura, inimiga do artifício,
É a força e a graça na simplicidade.


Fonte: www.jornaldepoesia.jor.br


https://www.google.com.br/url?
O soneto "A um Poeta", do parnasiano Olavo Bilac, é decassílabo (dez sílabas poéticas) e composto com rimas ricas (abba, baab, cdc,dcd), uma construção formal perfeita. Ele é metalinguístico, pois trata do próprio ato de escrever poemas. Evidencia um recolhimento próprio do poeta para escrever "longe do turbilhão", comparado ao monge Beneditino que trabalha retirado do mundo. Beneditino significa monge, isolamento. Claustro tem relaçao com a vida monástica, pode ser entendido como clausura, recinto fechado.


O poeta precisa silêncio, aconchego e sossego para conseguir criar a sua forma perfeita parnasiana. Em "Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!"  Pode-se entender a arte de escrever, em "teima" a reescrita buscando a perfeição formal, "lima" é um símbolo de polir, assim  significa a lapidação da escrita, "sofre" pode significar que a poesia é um dom, mas para escrevê-la com perfeição é preciso técnica e dedicação, e "sua" denotando que o trabalho do poeta é desgastante. 

Ele não quer que percebam o esforço feito na criação, a imagem nua, não rebuscada contrariava as rebuscadas típicas do parnasianismo que ele costumava usar, entretanto tinha que ter perfeição formal "rica", ser sóbria, simples, mas o enredo "trama" tem que ter um que de mistério, e ser respeitado como algo sagrado, como um templo grego que passa a ser o referencial de perfeição.

Nas duas últimas estrofes, penso que ele se manifesta a favor da arte artesanal e contra a mecanização da produção. A poesia tem que ser bela, mas ter verdade, convencer o leitor, a arte não precisa de engenhosidade,  a poesia tem que ter força e graça na simplicidade. Mas esta pode se contrapor ao imponente templo, à perfeição formal tão ilustrada no soneto.

Não tive aqui a intenção de uma análise profunda do soneto, mas sim de registrar minha visão sobre o mesmo.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O que significa ser pobre?

Odete Soares Rangel

Estava revendo um material de um curso que realizei e encontrei esta mensagem. Quero dividí-la com você, pois nos remete a uma profunda reflexão sobre nosso posicionamento frente ao consumismo e à vida. Infelizmente não foi informada a fonte para que eu possa divulgá-la, assim estaria homenageando o(a) autor(a).


Um pai, bem de vida, querendo que seu filho soubesse o que é ser pobre, levou-o para passar uns dias com uma família de camponeses.
O menino passou 3 dias e 3 noites  vivendo no campo.

No carro, voltando para a cidade, o pai perguntou:

- Como foi sua experiência?

-Boa, responde o filho, com o olhar perdido à distância.

E o que você aprendeu? Insistiu o pai.

1 - Que nós temos um cachorro e eles têm quatro.

2 - Que nós temos uma piscina com água tratada, que chega até a metade do nosso quintal. Eles têm um rio  sem fim, de água cristalina, onde tem peixinhos e outras belezas

3-Que nós importamos lustres do Oriente para iluminar nosso jardim, enquanto eles têm as estrelas e a lua para iluminá-los.

4 - Nosso quintal chega até o muro. O deles chega até o  horizonte

5 - Nós compramos nossa comida, eles cozinham.

6 - Nós ouvimos CD's... Eles ouvem uma perpétua sinfonia de pássaros, periquitos, sapos, grilos e outros animaizinhos...

...tudo isso às vezes acompanhado pelo sonoro canto de um vizinho que trabalha sua terra.

7 - Nós usamos microondas. Tudo o que eles comem tem o glorioso sabor do fogão à lenha.

8 - Para nos protegermos vivemos rodeados por um muro,com alarmes... Eles vivem com suas portas abertas, protegidos pela amizade de seus vizinhos.

9 - Nós vivemos conectados ao celular, ao computador, à televisão. Eles estão "conectados" à vida, ao céu, ao sol, à água, ao verde do campo, aos animais, às suas sombras, à sua família.

O pai ficou impressionado com a profundidade de seu filho e então o filho terminou:

- Obrigado, papai, por ter me ensinado o quanto somos pobres!

Cada dia estamos mais pobres de espírito e de observação da natureza, que são as grandes obras de Deus.

Nos preocupamos em TER, TER, TER, E CADA VEZ MAIS TER, em vez de nos preocuparmos em apenas  "SER".

(Autoria não informada)

sábado, 16 de julho de 2011

Básico Brasil, a moda elegante criada para a mulher contemporânea

Odete Soares Rangel

A BÁSICO BRASIL  é uma empresa que está no mercado e vem fazendo sucesso desde 1997. São 14 anos atuando no segmento de lojas multimarcas por todo o Brasil, com foco no estilo de vida contemporâneo. A marca vem conquistando e fidelizando cada vez mais clientes, mulheres que gostam de requinte e modernidade ao vestirem-se. As coleções são assinadas pela estilista Neiva Pivetta.


Tempos atrás tive a oportunidade  de conhecer os produtos da marca Básico Brasil. Numa visita a Porto Alegre,  deparei-me com um vestido na vitrine de uma boutique e fiquei deslumbrada. Não tive dúvida, entrei e o adquiri. Provei o vestido, realmente a peça se molda ao corpo, a pessoa fica com a silhueta mais definida, fiquei muito satisfeita com a peça.


Então fui buscar mais na INTERNET,  e descobri que a empresa fica  em Frederico Westphalen, olhei a coleção no site e fiquei extasiada, os modelos são únicos, fantásticos, diferenciados, coloridos.


Contatei com a Administração da empresa  na pessoa do sr. Caio Pivetta, que mostrou-se aberto em falar um pouco da sua empresa que tem se dedicado a desenvolver e produzir  moda feminina contemporânea. Sua marca se
identifica com o estilo de vida da mulher atual, através de um mix de produtos que vão do casual à moda noite. Os modelos vestem mulheres de bom gosto e que investem em qualidade, conforto, beleza e estilo diferenciado.


Segundo a direção da empresa, a natureza sempre inspira a criação das coleções, estando sempre presente nas estampas, nas fibras e nas opções de cores, fato que pude comprovar no vestido que comprei e na coleção que visualizei no site. Concordo com eles que a modelagem é trabalhada para favorecer e valorizar o corpo da mulher brasileira.


Ainda não tive a oportunidade de conhecer de perto, as estampas que imitam a pele de animais selvagens que são clássicos da marca. Uma outra tendência são as flores artesanais, que sempre dão um toque de romantismo e feminilidade às peças.


Estou buscando uma loja aqui em Florianópolis que se enquadre no perfil da empresa para indicá-la como representante da marca na nossa cidade. Assim, não necessitaríamos ir até o balneário Camboriú, ponto de venda mais próximo, para adquirir os produtos da Básico Brasil.  Esta empresa conduz suas atividades com muita ética e profissionalismo, mas sobretudo, com um profundo respeito pelo consumidor. Isso justifica seu crescente número de clientes. Acessem o site indicado a seguir e poderão conhecer as maravilhas dos produtos da coleção, são peças únicas, espetaculares.


As fotos deste Post são apenas alguns exemplos das peças que você encontra no site e nos pontos de venda da marca.


Parabéns a Administração e a estilista Neiva Pivetta da Básico Brasil, pois sua visão futurista se reflete nas suas coleções, e encanta o consumidor. 
         
         Contato:
         Caio Pivetta Rodrigues 
BÁSICO BRASIL
www.basicobrasil.com.br
(55) 3744-4633

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Poema a Vida por William Shakespeare

Odete Soares Rangel


Eu aprendi...
...que ignorar os fatos não os altera;


Eu aprendi...
...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;


Eu aprendi...
...que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;


Eu aprendi...
...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;


Eu aprendi...
...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;


Eu aprendi...
...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.


Eu aprendi...
...que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;


Eu aprendi...
...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;


Eu aprendi...
...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;


Eu aprendi...
...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.


(Boa noite , Amor )

quinta-feira, 14 de julho de 2011

“Mandela Madiba”

Odete Soares Rangel

“I am the captain of my soul” (Nelson Mandela)


O poema Mandela Madiba foi escrito em Luanda, Angola, por Manuel de Sousa, no dia 31 de maio de 2007. Sua finalidade era homenagear o passado Dia de África e os povos dessa nação, sejam eles filhos maternos ou que a tenham adotado por opção, bem como a todos os seus amigos. E um dos seus mais ilustres filhos é Nelson Rolihlahla Mandela. Ele que vai completar 93 anos em 18 de julho de 2011, foi homem de fibra, herói e ex-Presidente sul-africano (1994-1999), entretanto nem sempre teve seus dias de glória, mas nem por isso deixou de lutar por seus ideais.

Mandela foi mantido em cárcere durante 27 anos em consequência da sua luta contra o sistema de ‘Apartheid’ no país. Seu número de prisioneiro era 46664, mais tarde, ele o usou como número de batismo da sua associação de luta contra o flagelo sul-africano.

Vale lembrar que até se tornar uma democracia, a   África do Sul passou por períodos conturbados e de extrema violência. Publico o poema em homenagem a esse homem valoroso e seus aliados que lutaram contra o Apartheid e venceram. O poema traduz quem foi Mandela e qual foi sua bandeira.   Parabéns ao autor! 

Prenderam-no
Humilharam-no
Encarceram-lhe o corpo
Mas não conseguiram reter-lhe a alma
Não foram capazes de retirar-lhe o amor do coração
Foram impotentes para o desmotivar
Incapazes de lhe impor ódio e raiva
Pois ele foi sempre digno…
Manteve-se firme em seus nobres desígnios
Forte em seu caminho para a liberdade
Fixo em seus objectivos para atingir a igualdade
Mostrou grande exemplo de dignidade a todos
Tornou todos iguais perante a lei
Demoliu as diferenças de direitos
Foi líder e pai de uma nova nação arco-íris
Ensinou a tolerância e a liberdade a uns e outros
Perdoou a quem o trancou e privou do Mundo exterior…
Transformou a terra comum em esperança e justiça
Abriu as paredes e o arame farpado à democracia
Abraçou a todos sem distinção de cor ou poder
Cantou um novo hino da alegria de uma pátria renascida
Celebrou o início de uma nova era da humanidade
Deixou que a festa fosse dançada em espírito de paz nacional
Deu as mãos a todos os seus compatriotas e juntou-se-lhes
Criando uma nova nação movida pela unidade
Ele é um herói e pertence agora a todos nós…
Viva para sempre em nossos peitos o Madiba…da África…Livre

Quer saber mais sobre o assunto, então leia o artigo Apartheid no endereço http://www.suapesquisa.com/o_que_e/apartheid.htm

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Vídeos de cantores do mundo

Odete  Soares Rangel

Você já ouviu a expressão quem tem amigos nunca está só. Pois é verdade, tenho uma amiga que reside em Macau e que me presenteia com materiais maravilhosos. E eu, claro, os divido com você. Este sobre os vídeos de cantores do mundo, em especial, é para sentir-se acompanhado mesmo, pois música é um dos alimentos da vida. Obrigada Sueli por tão importante contribuição musical e cultural. 

O site http://uwall.tv/  é simplesmente fantástico!

Depois de abrí-lo, aparecerão as fotos dos cantores. Se você não encontrar algum de sua preferência,  é só escrever o nome na caixa que aparece no visor.

Abaixo do vídeo que você clicar, aparecerão todas as músicas desse cantor, elas irão abrir e tocar, todas em sequência.

Não é dmais?  Eu amei!

terça-feira, 12 de julho de 2011

Romance LIII ou das palavras aéreas

Odete Soares Rangel

Uganda, foto de M. Wells, de 1980.
As palavras têm um poder que pode causar um bem ou um mal, depende da forma ou intenção com que forem empregadas. Por vezes não precisam ser expressas para que se compreenda uma mensagem, é o que mostra a antítese na foto ao lado. As mãos se opõem pelo tamanho, pela cor, pela aparência mostrando duas situações e etnias distintas. Mas unidas expressam uma única mensagem: um manifesto contra a trágica situação de fome na África.


No poema, a antítese está presente em vários momentos, com esses dizeres contraditórios, pode tiranizar ou libertar o homem. Na última estrofe "Sois um homem que se enforca" se reporta a morte, enquanto que esta vem substituir o sopro de aragem em "Éreis um sopro de aragem..."   Na quarta estrofe, fica bem presente o poder que a palavra exerce na comunicação. Seu uso tem consequências, os sons falados se desfazem, mas o impacto causado fica. Com ela você critica, elogia, discrimina, registra, constrói, ela pode ser uma "arma letal" se usada de forma inconsequente, impensada, maldosa. Uma vez dita, não permite passar uma borracha e apagar como na escrita. Então pense nisso!

Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa!
Ai, palavras, ai, palavras,
sois do vento, ides no vento,
no vento que não retorna,
e, em tão rápida existência,
tudo se forma e transforma!


Sois de vento, ides no vento,
e quedais, com sorte nova!


Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência a vossa!
Todo o sentido da vida
principia à vossa porta;
o mel do amor cristaliza
seu perfume em vossa rosa;
sois o sonho e sois a audácia,
calúnia, fúria, derrota...


A liberdade das almas,
ai! com letras se elabora...
E dos venenos humanos
sois a mais fina retorta:
frágil, frágil como o vidro
e mais que o aço poderosa!
Reis, impérios, povos, tempos,
pelo vosso impulso rodam...


Detrás de grossas paredes,
de leve, quem vos desfolha?
Pareceis de tênue seda,
sem peso de ação nem de hora...
- e estais no bico das penas,
-e estais na tinta que as molha,
-e estais nas mãos dos juizes,
-sois o ferro que arrocha,
-e sois barco para o exílio,
-e sois Moçambique e Angola!


 Ai, palavras, ai, palavras,
íeis pela estrada afora,
erguendo asas muito incertas,
entre verdade e galhofa,
desejos do tempo inquieto,
promessas que o mundo sopra...

Ai palavras, ai, palavras,
mirai-vos: que sois, agora?


- Acusações, sentinelas,
bacamarte, algema, escolta;
- o olho ardente da perfídia,
a velar, na noite morta;
-a umidade dos presídios,
- a solidão pavorosa;
- duro ferro de perguntas,
com sangue em cada resposta;
- e a sentença que caminha,
- e a esperança que não volta,
- e o coração que vacila,
- e o castigo que galopa...


 Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa!
Perdão podíeis ter sido!
- sois madeira que se corta,
- sois vinte degraus de escada,
- sois um pedaço de corda...
- sois povo pelas janelas,
cortejo, bandeiras, tropa...


Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa!
Éreis um sopro na aragem...
- sois um homem que se enforca!


MEIRELES, Cecília. Obra poética. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1974. p. 442-94.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Aos poetas clássicos

Odete Soares Rangel

A poesia é de Patativa do Assaré (Antônio Gonçalves da Silva). O texto foi extraído do livreto de cordel de igual título, porém sem dados para identificação. Ele começou trabalhando na lavoura, então conhecia a situação de miséria do sertão (fome, dor, miséria). Nem mesmo seu pouco tempo de escola, impediu-o de se tornar um cantor admirado. Patativa acreditava que não existia poeta sem sofrimento.  E num momento que tanto se fala de mudanças ortográficas, em que está cheio de gente boa chamando a Presidente de presidenta, ele não estava tão errado, apenas usava as palavras a seu bel prazer para construir suas rimas. O mundo literário agradece sua contribuição.  Ele se dirige aos poetas clássicos, aqueles que participam da Academia Brasileira de Letras, mas não os inveja, ele gosta mesmo é da sua poesia com cheiro de sertão. A poesia moderna ele deixa para os poetas clássicos.


Poetas niversitário,
Poetas de Cademia,
De rico vocabularo
Cheio de mitologia;
Se a gente canta o que pensa,
Eu quero pedir licença,
Pois mesmo sem português
Neste livrinho apresento
O prazê e o sofrimento
De um poeta camponês.


Eu nasci aqui no mato,
Vivi sempre a trabaiá,
Neste meu pobre recato,
Eu não pude estudá.
No verdô de minha idade,
Só tive a felicidade
De dá um pequeno insaio
In dois livro do iscritô,
O famoso professô
Filisberto de Carvaio.


No premêro livro havia
Belas figuras na capa,
E no começo se lia:
A pá — O dedo do Papa,
Papa, pia, dedo, dado,
Pua, o pote de melado,
Dá-me o dado, a fera é má
E tantas coisa bonita,
Qui o meu coração parpita
Quando eu pego a rescordá.


Foi os livro de valô
Mais maió que vi no mundo,
Apenas daquele autô
Li o premêro e o segundo;
Mas, porém, esta leitura,
Me tirô da treva escura,
Mostrando o caminho certo,
Bastante me protegeu;
Eu juro que Jesus deu
Sarvação a Filisberto.


Depois que os dois livro eu li,
Fiquei me sintindo bem,
E ôtras coisinha aprendi
Sem tê lição de ninguém.
Na minha pobre linguage,
A minha lira servage
Canto o que minha arma sente
E o meu coração incerra,
As coisa de minha terra
E a vida de minha gente.


Poeta niversitaro,
Poeta de cademia,
De rico vocabularo
Cheio de mitologia,
Tarvez este meu livrinho
Não vá recebê carinho,
Nem lugio e nem istima,
Mas garanto sê fié
E não istruí papé
Com poesia sem rima.


Cheio de rima e sintindo
Quero iscrevê meu volume,
Pra não ficá parecido
Com a fulô sem perfume;
A poesia sem rima,
Bastante me disanima
E alegria não me dá;
Não tem sabô a leitura,
Parece uma noite iscura
Sem istrela e sem luá.


Se um dotô me perguntá
Se o verso sem rima presta,
Calado eu não vou ficá,
A minha resposta é esta:
Sem a rima, a poesia
Perde arguma simpatia
E uma parte do primô;
Não merece munta parma,
É como o corpo sem arma
E o coração sem amô.


Meu caro amigo poeta,
Qui faz poesia branca,
Não me chame de pateta
Por esta opinião franca.
Nasci entre a natureza,
Sempre adorando as beleza
Das obra do Criadô,
Uvindo o vento na serva
E vendo no campo a reva
Pintadinha de fulô.


Sou um caboco rocêro,
Sem letra e sem istrução;
O meu verso tem o chêro
Da poêra do sertão;
Vivo nesta solidade
Bem destante da cidade
Onde a ciença guverna.
Tudo meu é naturá,
Não sou capaz de gostá
Da poesia moderna.


Dêste jeito Deus me quis
E assim eu me sinto bem;
Me considero feliz
Sem nunca invejá quem tem
Profundo conhecimento.
Ou ligêro como o vento
Ou divagá como a lêsma,
Tudo sofre a mesma prova,
Vai batê na fria cova;
Esta vida é sempre a mesma.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Doçi Papiaçam e seu Patois agonizante

Odete Soares Rangel

                                  https://www.youtube.com/watch?v=JmPYVbKWF70&feature=player_embedded#at=22




Este vídeo é do grupo de Teatro Macaense  Doçi Papiaçam di Macau, que trabalha para que o Patois (patuá), Crioulo de Macau, não morra. A arte é fundamental nas nossas vidas, as raízes dos povos precisam ser mantidas, para que as pessoas não percam suas identidades. Obrigada Sueli por tê-lo enviado! O vídeo é muito legal e bem-humorado!


Leia ainda a reportagem À procura do reconhecimento internacional no endereço http://www.revistamacau.com/rm.asp?id=006031. 


No google e no You tube você encontra muito mais sobre o assunto, acesse.


Vamos fazer a nossa parte divulgando o vídeo!

sábado, 2 de julho de 2011

3ª Semana Internacional de Gastronomia em Santa Catarina

Odete Soares Rangel

A 3ª Semana Internacional de Gastronomia promete agitar a Costa Esmeralda Catarinense. O festival acontecerá nas cidades de Itapema, Porto Belo e Bombinhas, em Santa Catarina, no período de 24 a 31 de julho. O evento gastronômico é promovido pela Esmeralda Convention & Visitors Bureau. Nesse, os sabores típicos da região se mesclarão às tendências das escolas francesa, italiana e contemporânea.

Chefs como Olivier Anquier, Emmanuel Bassoleil, Luigi Tartari, Fabrice Lenud, Claude Troisgros e Alex Atala serão presenças marcantes no evento. Eles se apresentarão em aula show, cuja entrada importará em aproximadamente R$ 100,00.

21 restaurantes estão se preparando para o evento. Durante todo o mês de julho, eles prepararão receitas especiais para seus menus. Peixes e frutos do mar serão o ponto forte desse menu especial, pratos como peixe com banana, camarão com crosta de pinhão e risoto de bacalhau serão algumas das especialidades.

Temas como a elegância em coqueteis, menu à francesa e etiqueta à mesa serão discutidos, complementando o evento gastronômico.

Vale a pena conferir o evento.

Para inscrições e outras informações acesse:
www.semanadegastronomia.com.br

sexta-feira, 1 de julho de 2011

NET Fórmulas, orçamentos gratuítos

Odete Soares Rangel


Quantas vezes você precisou sair de sua casa com chuva, frio, dores, etc para pesquisar preços e comprar medicamentos manipulados? Acabou sua penitência! Para obter cotações de receitas de medicações manipuladas, basta você se cadastrar e preencher o formulário do link  “Envie sua receita” no site http://www.netformulas.com.br/ e sua receita será encaminhada para dezenas de farmácias de manipulação de todo Brasil.

Em 24 horas, o NET Fórmulas reunirá todos os orçamentos das melhores farmácias de manipulação da sua região em um único e - mail. Caberá a você escolher a melhor proposta dentro dos padrões estabelecidos por você para aquisição dos remédios. Os orçamentos são gratuítos.


Experimente!