PLAYLIST

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Homenagem aos que me deram a vida

Odete Soares Rangel

Odete com 2 anos de idade
Hoje, dia 31.08, completo mais um ano, dos muitos bem vividos. Vou festejar com meu marido Telmo e com quem vier me abraçar, porque o dom da vida tem que ser comemorado e agradecido a cada dia. Infelizmente, não tem ninguém da família presente, especialmente, os irmãos, pois moram em cidades distantes. Isto é bastante lamentável, pois nossos encontros familiares  têm sido habituais em situações de perdas familiares.
Telmo e Odete


Meu marido e Chef Telmo Rangel preparou o jantar com muito esmero e carinho, estava muito saboroso, e sou muito grata a ele por fazer parte da minha vida e estar sempre do meu lado em quaisquer situações.


Nós estamos felizes e eu estou com uma energia ótima. Mas essa felicidade não é total, pois gostaria de ter a presença, especialmente, das duas pessoas que me trouxeram ao mundo, me educaram, me criticaram e me apoiaram nas horas certas, me ensinaram os valores éticos e morais que norteiam minha vida. São eles, os meus queridos e inesquecíveis pai Hugo Teixeira Soares e mãe Adelaide de Freitas Soares. Eles estão em outro plano, mas tenho a certeza de que olham por mim e estão presentes sim, porém não em forma corpórea.


Nosso aniversário é uma data para reflexões, e faço isso com muita consciência. Comecei examinando meu nome e descobri que sua origem é francesa, e significa riqueza. E eu concordo, sou uma pessoa feliz e afortunada.


Grupo Escolar Borges de Medeiros 
Do meu nascimento não posso lembrar, mas lembro de quando recebi as primeiras noções de educação, de civilização, tomei gosto pelo estudo e dei continuidade a ele até os dias atuais.  Lembro bem da minha infância, essa foi um período muito feliz,  de muita alegria, a família estava sempre unida e convivia bastante com outros membros familiares. Oh período de abundância! Ah, dessa fase tenho muitas saudades! Como era bom viver naquele ambiente natural, rodeado de verdes e águas (árvores nativas, pomares, campos, hortas, cachoeiras, fontes) tudo isso era divino. Mas o ótimo mesmo era usufruir todos esses recursos naturais, tendo a família toda reunida. Nessa época eu não tinha a certeza que tenho hoje de que as coisas boas e as pessoas que amamos vão se modificando, e algumas se perdendo.


Éramos uma "big" família, minha mãe tendo viuvado em seu primeiro matrimônio, casou-se com meu pai,  e de ambos casamentos nasceram 11 filhos. Desses, infelizmente, muitos não estão mais entre nós (Alcides, Zair, Maria Odila, Orlando e Odilon). Os que vivem hoje (Almoedo, Zaira, Zaida, Odete, Odilka e Luis Carlos), quase todos moram em cidades diferentes e distantes, os encontros não acontecem com a frequência que eu gostaria, isso me faz sentir meio órfã de pai, de mãe, de irmãos. Dos filhos do segundo matrimônio (Eu, Odilka e Luis Carlos), somos  os que mantemos mais contatos. Eu os amo muito, assim como os demais irmãos por parte de mãe.

Hugo e Adelaide Soares
Registro esta homenagem àqueles que foram para todos nós um exemplo de sobriedade, de caráter, de humanidade, de dedicação, de abnegação e de muito amor. Que nossos pais tenham muita luz, e fica a certeza de que um dia nos reuniremos novamente. Então, até nosso próximo encontro. Eu os amo, incondicionalmente,  onde quer que estejam.  

Aos meus queridos pais, meu eterno agradecimento por terem me colocado no mundo, nessa família, e por terem feito de mim um ser de luz, uma pessoa do bem, de caráter, batalhadora, uma vencedora.

Pai e Mãe

Lembro agora o que me disse o futuro,
Os companheiros dos copos que conhecia,
Nas palavras cegas deitadas na mesa do café
Sobre a vida que era para ser, mas não é,
Cantadas em desconforto ou por simpatia.
Como se fossem vidas meadas por um muro.

Corrida contra o tempo que ousa não parar,
Deixando atrás o presente que se reitera,
Que ecoa nas vozes roucas das lembranças.
Ricas e ténues heranças,
Gritos calados por tanto que se espera,
Momentos passados desta vida secular.

Quero ir...
Quero voltar a estar onde estive,
Abrir as asas e voar, sonhar, recordar,
Sentir todos os minutos para me saborear.
Aprender de novo como se vive,
Como se ama a terra, sem fingir.

Imagino como era, como ainda será,
O sorriso dos meus pais, o seu abraço,
A saudade que os percorre, como a mim.
Um desejo, a vontade que não tem fim,
Ocupar o meu mundo, o meu espaço
Devolver este sorriso a quem mo dá.




Galeria de fotos da Família



Júlia, Odete e Luis Carlos


Odilka e Odete
Marilanda, Hugo, Luis Carlos,Júlia,
Lucas,Luísa e Natália



    
Fotos deste Aniversário


Ricardo, Jandra e Junior
Dulce e Telmo


Lisiane e Ricardo




Dulce, Ricardo, Odete e Jandra
Ricardo, Odete e Jandra


Arthur 
Menu

Nenhum comentário: